O ADEUS A DOM EFRAIM BASILIO KREVEY.

Escrito por admin no dia 5 de abril de 2012 em Sem categoria - Nenhum Comentário

A comunidade ucraniana brasileira entrestecida deu adeus a Dom Basilio Efraim Krevey Bispo Emérito da Igreja Greco Católica Ucraniana em comovente cerimônia na Igreja de São João Batista em Curitiba no dia 04 de Abril.

Com a presença de Dom Moacir Vitti Arcebispo de Curitiba, Dom Pedro Fedalto Bispo Emérito e do Arcebispo da Igreja Ortodoxa Ucraniana Dom Geremias Ferens  a Cerimônia foi dirigida pelo Eparca da Igreja Greco Católica Dom Volodomer Koubetch acompanhado de Dom Meron Mazur e de todos os padres da igreja Greco Católica Ucraniana e numerosos religiosos.

Acompanharam a cerimônia o Prefeito de Prudentópolis de Gilvan Agibert, o Prefeito de Ivai Idir Treviso, a Vice Prefeita de Irati Marisa Lucas, o ex-Deputado Estadual Felipe Lucas, a Consul da Ucrânia em Curitiba Larysa Myronenko, o Presidente da Representação Central Ucraniano Brasileira Dr. Vitório Sorotiuk, o Presidente do Clube Poltava Carlos Valdir Henzel, o Presidente do TPUK Marcos Nogas e o Secretario da Representação Central Sr. Wolodymyr Galat.

A igreja de São João Batista estava cercada por mais de 30 coroas de flores enviadas por associações ucranianas e autoridades.

Dom Volodomer Koubetch ao ler a biografia de Dom Efraim Krevey destacou que dos 120 anos da Imigração Ucraniana Brasileira, na metade dessa história, em 60 anos, ele se destacou no trabalho pastoral e cultural construindo dezenas de igrejas e ajudando a criar 12 grupos folclóricos.

O Presidente da Representação Central Ucraniano Brasileira Dr. Vitorio Sorotiuk na oportunidade proferiu as seguintes palavras :

“Em nome dos corações de 500 mil descentes de ucranianos gostaria de agradecer a todas as autoridades que enviaram notas de pesar e as coroas de flores em memória do falecimento de Dom Efraim Krevey. Gostariamos de agradecer em especial ao Hospital Vita Batel pelo tratamento médico generoso e cuidadoso que prestou a Dom Efraim Krevey quando da doença.

É sempre dolorosa a partida de um ente querido. Mas hoje essa dor é amenizada pela gratidão que a comunidade ucraniana brasileira tem a Dom Efraim Basilio Krevey por manter viva a ação, a memória e a identidade cultural dos descendentes de ucranianos no Brasil. Nunca alguém foi tão brasileiro e tão ucraniano ao mesmo tempo como Dom Efraim Krevey.

A Representação Central Ucraniano Brasileira perde o seu principal conselheiro. A comunidade perdeu um líder e um guia. Mas nós sentimos pelas manifestações que os jovens estão expressando que ele deixou muitas sementes. A chama da preservação da cultura ucraniana no Brasil acessa por Dom Efraim Krevey não se apagará.

A Igreja Greco Católica Ucraniana brasileira com o trabalho de Dom Efraim Krevey colaborou decisivamente para que a nossa comunidade se destacasse como uma das mais organizadas no mundo.

À família nossos sentimentos e gratidão por nos ter emprestado a tempo integral o labor pastoral, cultural e social de Dom Efraim.

Dom Efraim Basilio Krevey viverá eternamente nos corações da comunidade ucraniana brasileira.”

Às 18:0o horas Dom Efraim Basilio Krevey foi sepultado na cripta da própria Igreja de São João Batista.

O sepultamento foi acompanhado por um sentimento de profunda tristeza e gratidão pelo trabalho desenvolvido por Dom Efraim Basilio Krevey.

 

Manifestações

Entre as inumeras manifestações com o falecimento de Dom Efraim Krevey  a do jovem advogado Andreiv Chona parece sintetizar o sentimento de todos:

Slava Isusu Khrystu! Não poderia deixar de prestar minha pequena homenagem ao nosso querido D. Efraim. Tenho muitas lembranças desse grande homem. Muitas ainda da infância, da époda dos versinhos iniciados por “Dorohey Vladyko!”, ou de quando ele aparecia em Mallet, num sabado à tarde, tirava todas as crianças das salas de aula da catequese e distribuia balas de canela ou daquelas azedinhas com go…sto de infância. Quantas vezes, num dia qualquer da semana, lá estava D. Efraim circulando nos arredores da Igreja ou do Seminário de Mallet. Sem contar os inúmeros Congressos, Encontros, Romarias e Festivais de Dança, onde ele sempre era presença certa. Lembro dele dizendo para o Spomen, quando mal tínhamos dançarinos ou trajes, que era justamente assim que se começava e que o importante era nao desanimar, que
Mallet merecia um grupo de dancas.

Às vezes meus amigos latinos reclamavam que a celebração de Crisma deles teria que ser numa quinta-feira à noite, porque o bispo da Diocese não tinha tempo para ir até Mallet no domingo. Eu achava aquilo um absurdo, afinal, meu Bispo estava sempre por perto e sempre tinha
tempo para seu povo. Quantas vezes ele apareceu num ensaio do Spomen, ou numa reunião do grupo de jovens. Ou numa festa do padroeiro em uma comunidade rural, lá nos confins de Mallet.

Terei sempre muitas coisas para lembrar sobre D. Efraim, mas acho que o que mais vou lembrar é da proximidade, do contato dele com seu povo. Ele não era diferente porque era bispo, isso o fazia ainda mais próximo e igual a todos nós.

Costumo dizer que ser padre ucraniano no Brasil não é uma tarefa fácil. Quando o Pe. Nikon chegou por aí, há mais de 100 anos, ele assumiu um compromisso com a comunidade, não foi apenas um acalentador de almas, um ministro de Cristo, mas foi um acalentador de gente, um ministro do povo. O povo passou a ver no Padre, na Igreja, um ponto de apoio, um alicerce, não apenas para a religião, mas para sua propria cultura, folclore, tradições. Muitos anos depois, D. Efraim renovou esse contrato da Igreja com seu povo, fundou grupos folclóricos, corais,
centros culturais, incentivou a preservação da cultura e, claro, desempenhou seu papel e funções junto à Igreja e ao clero de maneira exemplar.

O que fica dele é o exemplo, as boas lembranças e minha grande e eterna admiração. E acho que a melhor maneira de o homenagearmos seja continuar seu trabalho, preservar nossa cultura, nosso idioma, nosso rito e nunca abandonar nossa Igreja.

Bічна пам’ять!!! Memoria Eterna!

Manifestação de Dom Daniel Koslinski

Queremos expressar a toda a Eparquia Ucraniana de São João Batista no Brasil, os nossos sentimentos pelo passamento de nosso querido Bispo Eparca emérito, Dom Efraim Basilio Krevey. Impossibilitado de tomar parte em seus funerais, uno-me à sua família, aos Bispos, à todos os fiéis da Eparquia. Juntos, perdemos o nosso pastor. Durante todos os anos que esteve em frente à direção da Eparquia, vimos …sempre o homem de Deus que vivia não para si, mas em função de sua missão: em função de Cristo e sua Igreja. Tive a graça de conviver com Dom Efraim durante longo tempo, quando pároco da Catedral em Curitiba. Dialogávamos todos os dias. Condividia todas as angustias e alegrias. Lembro-me de tantas coisas importantes que se passaram… Talvez o mais difícil foi o momento do incêndio que destruiu o Seminario em Mallet. Sua preocupação não foi pelo bem material que se perdeu, mas em saber como estavam os seminaristas, as vidas humanas que ali se encontravam. Quanta angustia vivida naquele momento! Sua preocupação diminuiu apenas quando teve a certeza que os seminaristas estavam bem… Bens materiais podem ser reconstruídos e de fato, o foram, talvez até com oposição de muitos. Era o seu estilo. Não desistir jamais. Aprendi tantas coisas com Dom Efraim, mas o que me marcava era a sua persistência e otimismo, que provinha, com certeza, de sua intensa vida espiritual. Todos os dias, de manhã, às 6:15, sempre com pontualidade, não vendo se estava cansado ou não, a celebração da Divina Eucaristia, sua oração e meditação eram sagrados. Sempre admirei sua dedicação pelas vocações. Um seminarista que progredia, era sempre motivo de alegria. Quando um sacerdote demonstrava a sua infidelidade, a sua preocupação, consternação, com o desejo da realização pessoal da pessoa humana.Qual o segredo de toda a sua disposição, em toda a dedicação pelo trabalho realizado? Sempre falava de um pequeno segredo do dia de sua ordenação episcopal, na Basilica São Pedro em Roma, quando o Santo Padre, o Papa Paulo VI, lhe sussurrou nos ouvidos: “Cuide bem deste bom povo ucraniano do Brasil”. Ele viveu estas palavras. Por isso, mais que pastor, foi o nosso pai espiritual. Rendo minha homenagem pessoal e em nome de nosso Bispo Emérito, Dom Miguel Miquetzey, de todo o Clero, religiosos, religiosas e do povo ucraniano na Argentina. Que sua memoria seja eterna entre todos. Que seu exemplo de luta, trabalho em prol da Igreja e Reino de Deus, seja exemplo e motivação de continuidade para todos nós.

Buenos Aires, 03 de abril de 2012 + Daniel Kozlinskey Administrador Apostólico

 

Biografia de Dom Efraim Basilio Krevey

D. EFRAIM BASÍLIO KREVEY,OSBM

EPARCA PARA OS UCRANIANOS CATÓLICOS NO BRASIL

Nascido no dia:12 de dezembro de 1928 em Ivaí, Paraná.

Pais: João e Sofia Bardal Krevey – agricultores.

Estudos: Seminário Menor de S. José – Prudentópolis – 1940 – 1942

Noviciado dos Padres Basilianos: 1943-1944 em Prudentópolis.

Escola Média: 1945-1946 em Iracema SC.

Filosofia: 1947-1948 em Iracema SC
Teologia: 1949-1952 em Roma – Gregoriana – Licenciado

Profissão Solene: 01.01.1950 em Roma

Ordenação: Ordens Menores:04.03.1951 em Roma – D.Ivan Buczko

Diaconato: 25.03.1951 em Roma – D.Ivan Buczko

Sacerdócio:12.11.1951 em Roma – D.Ivan Buczko

Episcopal: 13.02.1972 em Roma – SS.Paulo VI

Ofícios: 1952-1955: Coadjutor da Paróquia S.Josafat-Prudentópolis

Vice-Reitor e professor do Seminário São José – Prudentópolis

1955-1959: Reitor do Seminário S.José e professor.

1959-1969: Superior do Mosteiro São Josafat, professor no Seminário e Pároco da
Paróquia S.Josafat –
Prudentópolis.

1965:      Conselheiro Provincial.
1969:      Superior e professor no Studium OSBM Batel-
Curitiba.

1970:      Eleito e aprovado Provincial da Província S.José.

1971:     29 de novembro – nomeado Bispo Coadjutor, com direito à sucessão de
D.José  Martenetz – para os
católicos ucranianos do Brasil.

1978:      10 de maio – Assumiu como EPARCA no lugar de D. José Martenetz.

2006:     13 de dezembro tornou-se Bispo-Emérito, deixando o governo espiritual da Eparquia.(Diocese).

Atividade Pastoral: Ordenações sacerdotais: 103 Casas Religiosas criadas e instaladas: 35 Criação de Novas Paróquias: 09

Residência Episcopal.

Residências paroquiais: 28

Seminário Eparquial Menor S.Josafat – Mallet, Pr.

Seminário Eparquial Maior S.Josafat – Curitiba,Pr.

Centros Comunitários: 54

Igrejas construidas e inauguradas:65

Igrejas novas ou ampliadas/consagradas:95

Centro Religioso-cultural “POLTAVA”,em Curitiba,Pr

Casa de Repouso para Idosos “N.Srª. do AMPARO” em Marcelino – S.José dos Pinhais,PR.

Iniciou e implnatou ROMARIA EPARQUIAL PENITENCIAL para Iracema,SC.

Congressos anuais da Juventude Ucraíno-Brasileira

Centro Eparquial de CULTO MARIANO E ROMARIA ANUAL em Antonio Olinto, PR.

Comissões: Comissão Eparquial do Apostolado da Oração.

Comissão Eparquial de Liturgia

Comissão Eparquial de Catequese

Comissão Eparquial Vocacional.

Comissão Eparquial dos Jovens

Pastoral da Família.
BIOGRAFIA – D.EFRAIM B.KREVEY
D. Efraim Basílio Krevey, filho de João Krevey e Sofia Bardal Krevey, nasceu na localidade de Saltinho,
mun. de Ivaí, Pr, no dia 12 de dezembro de 1928.

Freqüentou a Escola local de Saltinho, nos anos 1937-1939, sendo sua Professora a dona Ana Bardal, sua tia. Em 1939,
quando da visita canônica de Dom Ivan Bushko, o páro-co Pe.Orestes Karpliuk, o incentivou para a vida sacerdotal. No ano seguinte, ingressa no Seminário São José, em Purden-tópolis, onde terminou os seus estudos ginasiais. Em 1943
orientado pelos superiores, ingressou no noviciado dos Pa-dres Basilianos. Em 1945, inicia seus estudos humanísticos e filosofia no Mosteiro da localidade de Iracema, em SC. No final de 1948 parte para Roma, onde, nos anos seguintes, faz seus estudos
teológicos, na Pontifícia Universidade Gregori-ana, alcançando o grau de Bacharelado em Teologia.

O caminho para o sacerdócio se iniciou em 04 de março de 1951, quando recebeu as ordens menores. O diaconato aconteceu no
dia 25 de março do mesmo ano, em Roma, pela imposição das mãos de Sua Exca. D.Ivan Bushko. A ordenação sacerdotal aconteceu na igreja de São Sérgio e Baco, em Ro-ma, no dia 12 de novembro de 1951, sendo ordenante o próprio D.João Bushko.

Retorna ao Brasil no final do ano de 1952. No ano seguinte, após a celebração da Primeira Divina Liturgia So-lene, em sua Colônia, é nomeado coadjutor da paróquia de S.Josafat em Prudentópolis e professor no Seminário
S.José dos padres Basilianos. Em 1955, torna-se Diretor do Seminário e em 1959, torna-se o Superior do Mosteiro dos Padres Basilianos  bem como Pároco da Paróquia de S.Josafat em Prudentópolis.Desempenhou esse cargo até o mês de junho de 1959.  Durante este tempo, concluiu a construção do Seminário e Mosteiro, bem como a reforma de toda a igreja de S.Josafat.
Readquiriu os terrenos, onde hoje está construído o Centro Social Clube 12 de novembro, no centro da cidade de Prudentópolis. No campo pastoral, sempre se distinguiu pelo zelo apostólico no atendimento a todos os paroquianos, distinguindo-se o seu trabalho entre os jovens. Fundou, durante estes anos,o grupo folclórico, hoje denominado Grupo Folclórico Vesselka.

Em junho de 1969, é transferido para Curitiba, onde inicia os trabalhos na Casa de Formação dos Padres Basilianos.

Em 1970 foi eleito Provincial dos Padres Basilianos na Província de S.José, aqui no Brasil. Desenvolveu por pouco tempo
este seu cargo, visto que no dia 29 de novembro de 1971, foi nomeado Bispo Coadjutor da Eparquia Ucraíno-Ca-tólica de S.João Batista para os ucranianos católicos de to-do o Brasil.

Foi ordenado Bispo na Basílica de S.Pedro em Roma, sendo ordenante o próprio Papa Paulo VI, no dia 13 de feve-reiro de 1972.

Assumiu a Eparquia como Coadjutor de D.José Martenetz no mês de março de 1972. D. Efraim distingui-se sempre pelo
seu grande zelo apostólico e empreendedor, como Bispo, dentro da Eparquia. Numerosas são as visitas pasto-rais, incentivando o povo em sua caminhada cristã, na con-servação do próprio Rito, como também das tradições. Para melhor atendimento pastoral dos fiéis, incentiva-se a formação de novas comunidades, principalmente nas regiões novas do Paraná, nos municípios de Pitanga, Roncador, Campo Mourão, Cascavel e Pato Branco. Fundou várias paróquias.

Em 1972 inicia a construção da nova Sede Epar-quial em  Curitiba.  Fundando o Grupo Folclórico Poltava, constrói também o Clube, Centro Religioso Cultural Poltava, centro de irradiação da cultura religiosa e popular entre os ucranianos em Curitiba e no Paraná.

Em 10 de maio de 1978 se tornou o segundo Eparca da Eparquia Ucraíno-Católica de S.João Batista, com a renúncia de D.José Martenetz, alquebrado pela doença.

D. Efraim sempre incentivou, durante o seu ministério episcopal, a construção de várias igrejas do rito ucraíno-católico, fazendo com que a Eparquia muito prospe-rasse. Convém ressaltar o seu trabalho com os jovens e profissionais, na organização de vários encontros e congressos da juventude e comunidade ucraniana no Brasil.

D.Efraim, durante estes 60 anos de sacerdócio e 40 anos de ação pastoral, em particular 28 anos de Eparca, em prol do Reino
de Deus e bem da Eparquia, com certeza, colhe os frutos, semeados com generosidade, disposição, animado sempre no seu lema episcopal: A caridade jamais acabará. Sim, através de sua pessoa e ação se sente o reavivar da fé de um povo em sua caminhada cristã. Que Deus dê muitos anos de vida a D.Efraim no comando Igreja Ucraíno-Católica no Brasil.

No dia 13 de dezembro de 2006 o Santo Padre o papa Bento XVI aceitou a renúncia de D.Efraim como Eparca tornando-se assim Bispo-emérito da Eparquia Ucraíno-Católica de S.João Batista no Brasil.

Deixe um Comentário